Home » Blog » Selic em 11% mantém fundo de renda fixa à frente da poupança

Selic em 11% mantém fundo de renda fixa à frente da poupança

Com a permanência da taxa Selic nos 11,00% ao ano, segundo anunciou o Copom nesta quarta-feira (28), os fundos de renda fixa continuam batendo a poupança na maioria dos casos.

No atual patamar da taxa, a caderneta só é mais vantajosa que os fundos mais caros, com taxas de administração superiores a 2,00% ao ano.

A taxa de administração média dos fundos DI para o público de varejo em dezembro (data do último dado) era de 1,18% e para os os fundos de renda fixa, de 1,06% ao ano.

Os fundos de renda fixa têm ganhado vantagem porque enquanto suas rentabilidades aumentam conforme a Selic é elevada, o rendimento da poupança só acompanha o aumento da taxa básica de juros até certo ponto.

De acordo com a nova regra da poupança, a caderneta rende 70% da Selic mais a Taxa Referencial (TR, taxa próxima a zero) quando a Selic é menor do que 8,50%. Portanto, até esse ponto os aumentos da Selic beneficiam a caderneta.

Quando a Selic é igual ou maior do que 8,50%, no entanto, a Selic passa a render sempre 0,50% ao mês mais Taxa Referencial (TR) – assim como a poupança regida pela regra antiga – e deixa de acompanhar as altas da taxa básica.

Como os fundos de renda fixa não têm essa trava, a cada aumento sua rentabilidade se distancia mais da poupança.

Ainda assim, quandos os fundos possuem taxas de admnistração altas, mesmo se beneficiando da alta da Selic eles podem perder da poupança, uma vez que parte dos seus rendimentos é comida pela taxa.

Além disso, a poupança não sofre incidência de imposto de renda (IR), enquanto os fundos de renda fixa são tributados.

O desconto do imposto sobre os fundos ocorre pela tabela regressiva do IR: quanto menor o prazo de aplicação, maior a alíquota do IR, que varia entre 22,5% a 15%.

É por isso que o investidor deve ficar muito atento às taxas de administração dos fundos e ao prazo do investimento. Se a taxa for alta, ou se o investimento for feito em um prazo de poucos meses, quando o imposto é mais alto, compensa mais investir na poupança.

Além de não sofrer nenhum tipo de desconto, a poupança também tem a vantagem de ser muito mais prática. Se a diferença de rendimento do fundo e da poupança for de poucos reais, não vale a pena ter mais trabalho para investir apenas para conseguir “comprar um sorvete a mais” no final do mês.

Fonte: “Exame”.